sábado, 28 de janeiro de 2012

Vi no G17

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Brasil, motivo de orgulho ou vergonha ?

Esses dias eu tava lendo meu livro de geografia quando abri em uma pag. e vi um trecho de um texto que me chamou muita atenção, ele dizia assim:
"Com qual Brasil você se identifica? com o paraíso tropical, terra abençoada, habitada por gente alegre e hospitaleira? Ou com o país recordista mundial de desigualdade social,  onde os jornalistas estampam diariamente manchetes sobre violência, corrupção e miséria? Afinal, ser brasileiro é motivo de orgulho ou de vergonha?"
(Lv. Geografia 8º ano, editora Moderna.Pag 212)
E me peguei pensando com qual dos dois eu me identifico; com a parte que meu pai chega do trabalho de carro e deixa no estacionamento do condomínio que mora, que é muito bem vigiado por seguranças e vai pra dentro de casa ligar seu computador e assistir a tv a cabo, outro dia pagar meus cursos e me dar o dinheiro que eu pedir pra sair com meus amigos, gastar nas minhas roupas e sapatos e desperdiçar tudo com o que há de mais desnecessário nesse mundo. Ou com a outra parte em que vou pra escola (pública) e esbarro com o descaso do governo em simplesmente empurrar as pessoas para a próxima série só pela presença nas aulas e nenhuma nota, e a falta de incentivo e de interesse da parte de alguns professores.
Agora me pergunto, se o Brasil 6ª maior país na economia mundial quer ser totalmente o país hospitaleiro e um dos mais belos, porque tanto descaso ?Com a falta de incentivo que os alunos de hoje recebem (a maioria) a sociedade da próxima década não vai saber escrever o próprio nome e muito menos tocar um país pra frente, com mulheres que não sabem se valorizar, colocam uma mini-saia e saem dançando por aí e aceitando serem chamadas de cachorra e homens que não ligam pra nada nem pra emprego, e crianças que só tem avós porque a mãe é muito ocupada com bailes funk e o pai, que engravidou a mãe aos 15 anos não teve coragem de assumir e vive por aí bebendo e se drogando.
Mas o que dizer da sociedade que iremos ter se a presidenta, que deveria ser o maior exemplo elegeu ministros corruptos e quer mais é que a sociedade seja desinformada? Assim ela poderá continuar roubando nosso dinheiro dos impostos e mentindo sobre coisas que poderiam ser facilmente descobertas, mas que quem pode ir lá e falar a verdade não vai, por que pode fingir que nada disso está acontecendo. Seus filhos estão em ótimas escolas particulares e eles desfrutando do dinheiro da população e seus parentes ( ou ex-presidentes) podem cuidar do câncer com total conforto em hospitais caros e bons. Enquanto boa parte da população com câncer está morrendo tentando esperar em filas por um transplante que pode demorar até 10 anos.

terça-feira, 21 de junho de 2011

terça-feira, 1 de março de 2011

Sociedade padrão.


Cansei da sociedade de hoje, todos os dias um playboyzinho (de merda), mata pessoas e animais inocentes por causa do próprio preconceito, mas como vemos nos jornais todos os dias isso tudo é apenas "brincadeira de adolescente", " eles não tem noção do que fazem", e por isso continuam por aí, soltos, matando, indo em festas e usando drogas, recrutando crianças inocentes para o crime e a "prostituição", entre aspas por que não é A prostituição é tudo em forma de funk com as novinhas de de sainha ♪ Que acabam com o brasil, ou você já viu alguém respeitar alguma garota do tipo que pega 74 em um dia só ( acredite se quiser uma colega minha já fez isso), bom, o problema não acho que seja pra quantos uma novinha dá em uma noite só, o problema são nossas crianças, o péssimo futuro que o Brasil vai ter, com mais e mais garotas sendo aprendizes de putas e engravidando aos 14, colocando os filhos no mundo, jogando pra qualquer canto e ensinando o mal exemplo. Ensinando os garotos de 10 anos a usarem uma arma, roubar e a fazer drogas. 
Realmente, tenho vergonha desse Brasil e da maioria das pessoas que vivem nele, e de saber que meia-dúzia da sociedade pensa como eu. 
Agora fiquei imaginando, como seria se ao invés das novinhas e os mlk top fossem transar  plantassem uma árvore, como o Brasil estaria lindo, florido, verde...  Mas infelizmente isso não é uma realidade...
Mas tipo, pensa comigo, toda garota quer ser famosa certo? E em um país que só fica famosa quem rebola na vara, pra que ser certinha né?É bem mais fácil tirar a roupa, botar um salto alto e começar a dançar... 

domingo, 20 de fevereiro de 2011

A inauguração do circo raro- Celly Borges

“Atenção, senhoras, senhores e crianças! Chegou o circo mais espetacular jamais visto! Faremos nossa apresentação de estreia nesta cidade. Animais adestrados, nunca antes vistos em um circo. A primeira sessão será inteiramente grátis!”

Anunciava o carro de som precário que passava por todas as ruas dos bairros próximos. O motorista aproveitava para jogar pela janela panfletos. As crianças corriam e pegavam vários, as que não sabiam ler, rapidamente procuravam um adulto próximo que lhes contasse o que dizia nos papéis.



A pequena Mary entregou o papel a João, seu pai, que leu:

Chegou o incrível Circo Raro! A inauguração será sábado, dia 14, às 21h.
Venham todos, e vejam a mais incrível das criaturas já adestradas!
Será uma surpresa incrível, não tenha dúvida!
Retire seu ingresso na bilheteria do circo, no endereço R...
Obs.: todos os grandes nomes da cidade estarão presentes!


Na sexta-feira todos estavam ansiosos, mas o sábado não tardou a começar. E, como era um espetáculo gratuito, a fila teve início cedo.

Entre as rodas de pessoas que esperavam a hora de receber o ticket, várias resolveram apostar que animais interessantes seriam aqueles. Alguns arriscavam em ornitorrincos, enquanto outros concordavam, sem mesmo saber o que seria um, ou como seria.

Todos acomodados, o espetáculo teve início, exatamente às 21h. No centro do palco, uma jaula coberta por um tecido escuro. O que quer que estivesse lá dentro, fazia muito barulho ao se jogar contra as grades.

(Ah, como se eu não soubesse o que era.)

O apresentador chegou. Uma luz somente nele. Apenas quem estava muito próximo pôde perceber aqueles olhos. Olhos negros, tão escuros quanto a própria noite sem estrelas nem lua. Tão escuros quanto um ser desprezível, sem alma. Mas aquele homem tinha alma, e não era desprezível, a meu ver.

A plateia ainda estava lá, sem saber o que a aguardava. Enfim, vamos lá, o espetáculo deve ter seu ciclo eterno um dia iniciado. E a oportunidade chegou.

Corro para frente do palco, pois Lorde John me chama. Agora é a minha vez de ver mais de perto aqueles olhos vidrados numa atração nova. Os olhos de Lorde John estão extasiados, vidrados naquela nova atração a sua frente. O público.

Nunca disse ao contrário, mas tenho de reafirmar aqui: Lorde John é louco! Todos nós sabemos. Bem, “nós”, somos seus seguidores. E, por isso, também loucos.

Chegou a hora, Lorde John pede para que eu, sua assistente, retire o pano que recobre a jaula, aliás, uma jaula não muito grande! Apenas para que caibam todos os nossos pequenos bichinhos treinados. Deleite-se, público.

O pano cai, o rosto das pessoas em uma fisionomia chocada. Minha risada pode ser ouvida por todos os cantos, Lorde John olha para mim e sorri encantador, insano. Meu ser preferido neste e em outros mundos.

Dentro da jaula, vários seres, iguais àqueles na arquibancada, seres repulsivos, humanos, que maltratam os animais que não podem se defender. Mas, oh, nós, do Circo Raro, pagamos bem, damos comida, aos seres humanos – claro que sempre esquecemos que precisam se alimentar, mas e daí??? Não é assim também que funciona com os animais? Oh, como pude esquecer? Afinal, eles também são animais, racionais, como se definem, não? Agora eles são parte do Circo de Horrores!

Olhe lá, os seres humanos correndo da própria raça. Eles estão presos, como todos deveriam estar, são maltratados, como todos deveriam ser... São hipócritas como todos são.

Lorde John está ali, ao meu lado, segurando minha mão, e olha com prazer àquela cena, mas eu sabia que, por dentro, estava triste, pois não conseguimos apresentar os truques que ensinamos aos nossos bichinhos.

Quem sabe da próxima vez.

Medo B

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

9 Meses ♥

[aaa] Como é bom olhar pra trás e lembrar dos velhos tempos... Do tempo que nos conhecemos, nossas conversas, brincadeiras... De quando você disse que me amava pela primeira vez, e eu te achei um louco por amar alguém que nem conhecia, lembro de quando eu te perguntava por que você me ama e você me dizia, " eu não sei, simplesmente aconteceu ". E você foi me conquistando aos poucos, quebrando a barreira do meu coração com esse teu jeitinho lindo, misterioso  e me fez te amar com uma habilidade incrível, os sorrisos que você sempre me arrancou, as palavras que você sempre me disse, que me fez acreditar no teu amor, o teu jeitinho habilidoso de me consolar, de arrancar meus segredos... Lembro da sensação que senti no dia que disse que te amo, e no dia que você me pediu em namoro. Lembro de quando eu olhava seu orkut e morria de ciumes das suas amigas, e de como eu acho lindo quando você admite que também é muito ciumento...
Lembro das nossas discussões,  da sensação horrível que é te ver triste, lembro de todas as vezes que você duvidou de mim e eu consegui provar, lembro de todas as vezes que no silencio do meu quarto eu chorei sem ter você, lembro de todas a promessas de amor eterno ( Que vou cumprir! ), lembro de quando você colocava alguns sub-nicks no msn e eu ficava imaginando se era pra mim...

 [aaa] Como é bom morrer de amor e continuar vivendo, vendo a vida mais colorida, indo dormir e acordar com uma só pessoa na cabeça, olhar o céu a noite e lembrar de suas palavras, ir escutar uma musica romântica e lembrar de uma única pessoa, aquela que tem o poder de mudar seu humor apenas com algumas palavras e te consolar como ninguém...

Como é bom perceber que foram 9 maravilhosos meses que eu não mudaria nenhum dia e como é ótimo saber que quem se ama também te ama...

 E mesmo estando longe, com toda essa barreira da distância, uma certeza eu sei que posso te dar: Essa maldita distância não é nada perto do que eu sinto por você Iago

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Vamos celebrar...

Vamos celebrar a estupidez humana
A estupidez de todas as nações
O meu país e sua corja de assassinos
Covardes, estupradores e ladrões
Vamos celebrar a estupidez do povo
Nossa polícia e televisão
Vamos celebrar nosso governo
E nosso Estado, que não é nação
Celebrar a juventude sem escola
As crianças mortas
Celebrar nossa desunião
Vamos celebrar Eros e Thanatos
Persephone e Hades
Vamos celebrar nossa tristeza
Vamos celebrar nossa vaidade.
Vamos comemorar como idiotas
A cada fevereiro e feriado
Todos os mortos nas estradas
Os mortos por falta de hospitais
Vamos celebrar nossa justiça
A ganância e a difamação
Vamos celebrar os preconceitos
O voto dos analfabetos
Comemorar a água podre
E todos os impostos
Queimadas, mentiras e seqüestros
Nosso castelo de cartas marcadas
O trabalho escravo
Nosso pequeno universo
Toda hipocrisia e toda afetação
Todo roubo e toda a indiferença
Vamos celebrar epidemias:
É a festa da torcida campeã.
Vamos celebrar a fome
Não ter a quem ouvir
Não se ter a quem amar
Vamos alimentar o que é maldade
Vamos machucar um coração
Vamos celebrar nossa bandeira
Nosso passado de absurdos gloriosos
Tudo o que é gratuito e feio
Tudo que é normal
Vamos cantar juntos o Hino Nacional
(A lágrima é verdadeira)
Vamos celebrar nossa saudade
E comemorar a nossa solidão.
Vamos festejar a inveja
A intolerância e a incompreensão
Vamos festejar a violência
E esquecer a nossa gente
Que trabalhou honestamente a vida inteira
E agora não tem mais direito a nada
Vamos celebrar a aberração
De toda a nossa falta de bom senso
Nosso descaso por educação
Vamos celebrar o horror
De tudo isso - com festa, velório e caixão
Está tudo morto e enterrado agora
Já que também podemos celebrar
A estupidez de quem cantou esta canção.
Venha, meu coração está com pressa
Quando a esperança está dispersa
Só a verdade me liberta
Chega de maldade e ilusão.
Venha, o amor tem sempre a porta aberta
E vem chegando a primavera -
Nosso futuro recomeça:
Venha, que o que vem é perfeição



Perfeição- Legião Urbana